domingo, 5 de fevereiro de 2012

Incompletudes

(...)Dentro do peito, no entanto; havia ainda aquele ponto
brilhante, incandescente, de onde saía uma chuva de
pequenas fagulhas. Era quase insuportável. Ela mal tinha
coragem de respirar, por medo de atiçar aquele fogo ainda
mais;contudo, respirava fundo... fundo. Quase não tinha
coragem de olhar-se no espelho frio; mas olhou, e ele
mostrou-lhe uma mulher radiante, com lábios trêmulos,
sorridentes, grandes olhos escuros e um ar de quem está
à espera de que alguma coisa... divina aconteça.
Ela sabia que iria acontecer infalivelmente.(...)

Katherine Mansfield in: Bliss



A sua dúvida talvez seja a mesma minha: não saber onde todas renúncias se recolhem à espera de uma segunda chance. Aquele caminho que a gente não seguiu, aonde daria. Parecia tão simples desinibir ternuras alguns dias atrás que não percebi em que momento a espontaneidade se tornou privilégio – e se tornou regra essa cordialidade vigilante, hábil em macerar o dia. Tenho vontades que não morrem. Tenho repentes que inquietam meu coração e fazem doer meus dedos. Parecia tão simples, mas imagino: nada é simples, a não ser fugir – e eu escolhi ficar aqui, e renunciar, e ignorar. Porque certas coisas, quanto mais absurdas, mais adequadas me parecem. Certas coisas, não tão certas. Enquanto escrevo, eu me lembro do cheiro daqueles dias. Então escrevo, e me lembro, e persisto desorientando infinitudes e desafiando incompatibilidades - porque não pude, porque não soube, porque não vi(vi) mas ainda assim acredito num amor imune ao aleatório.



14 comentários:

NOEMI disse...

O homem é por natureza um ser insatisfeito e, por conseqüência, um ser buscador,
que quer sempre novas conquistas, as quais lhe dão sentido para a vida.ee É GRAÇAS A ISSO QUE EVOLUIMOS,FOMOS A LUA etc....A arte a literatura, por meio da representação, busca encontrar estratégias para preencher esta falta,
e assim dar um sentido, um significado à vida, buscar aquilo que irá nos plenificar. Viver e estar reinventando a vida sempre.UM DOMINGO MARAVILHOSO PRA TI

Fernanda Fraga disse...

Ainda que sejamos incompletos, o que está por vir nos promova desdobramentos maiores, em que o Amor pode de alguma forma nos refazer até de nossas renúncias.
Beijo.
Fernanda.

Erica Ferro disse...

Flávia, acho que já disse aqui que a sua escrita me encanta e me toca de uma maneira única.
Gosto de gente que escreve com a alma, e você é desse tipo.
Vejo-me nos seus escritos. Identifico-me com seus sentimentos.
Muito obrigada por compartilhar esses belos textos conosco.

Flávia disse...

NOEMI, FERNANDA,

Renunciar é preciso. Mas quem nunca lamentou uma renúncia, ainda que só por um segundo, que atire a primeira pedra :)

ERICA,

Também gosto muito de ler o que você escreve. E estava com saudade dessa interação por aqui!

Jeniffer Yara disse...

Vim aqui visitar seu blog por causa da Érica que postou ele no twitter,rs.
E quer saber? Não me arrependi. Suas palavras além de serem como as de uma poeta, transmitem uma verdade que não é só sua, mas também minha.
"Por que certas coisas, quanto mais absurdas, mais adequadas me parecem" - Essa sou eu.

Beijos ><

Karine disse...

Muito lindo o blog seguindo, o meu é: http://asoonhadora.blogspot.com/
Me da uma ajudinha, se puder é claro!
votar aqui:
http://bnascimentooo.blogspot.com/
Na barra lateral, em DREAMER...
Ficaria muito grata, Deus abençoe sua vida!

Fernanda disse...

Gosto de a ler, há imensa identidade na linha de pensamento.
Não é fácil escolher um novo caminho, por mais apelativo que seja.
Acredito que sim, que há um "amor imune ao aleatório", mas talvez nem todos o alcancemos.

Boa semana
Bons escritos
Beijo meu

Flávia disse...

JENNIFER,

Bem vinda! Erica é uma querida. Você também. Obrigada pelo carinho. Acredito que seja uma das características femininas essa predileção pelo absurdo. Mulheres, excetuando-se as exceções que confirmam a regra não são simplistas :)


KARINE,

Bem vinda. Sorte na votação!


FERNANDA,

Não, não é fácil. Ainda estou tentando aprender como se faz isso de uma forma que não se assemelhe tanto a uma ruptura. Deve existir uma. Boa semana pra você também!

Anônimo disse...

Simplesmente lindo este aqui. Meu pensamento viaja longe, perto de F.B. E é assim que sou mantido cativo dessa arte tua.

Flávia disse...

ANÔNIMO,

Algo me diz que você já andou por aqui.

Anônimo disse...

Certeza, certeza, a gente nunca tem, mas, se o teu coração te diz isso, confia nele. Qual o grande problema se ele estiver errado?

Flávia disse...

ANÔNIMO,

Algo me diz... não, desta vez eu vou guardar pra mim. Certeza, certeza, a gente nunca tem...

Fabrício Franco disse...

Confesso que pensei em não macular a feminidade manifesta dos comentários, mas seu texto me invocava. Partes dele, aliás. "... Essa cordialidade vigilante, hábil em macerar o dia". Não estamos todos sob o jugo disso?
"... Acredito num amor imune ao aleatório." Também, Flávia, também.

Beijo!

Anônimo disse...

Lindo, lindo, lindo!!! A cada vez que se lê fica mais lindo ainda. É a velha forma de volta, de coisas belíssimas, tipo "Romaria" e "O Grande Mundo Das Pequenas Coisas". Não que você não tenha escrito de lá pra cá, mas aqui você é indiscutivelmente muito mais Flávia. (Ins)pirada !!!

Onde foi parar o chão?