terça-feira, 17 de agosto de 2010

Carta a Samuel



Oi, filho.

Eu gostaria de ter-lhe escrito esta carta há mais tempo; desde que soube que você, meu sonho mais bonito e mais ansiosamente sonhado, finalmente, passara a existir. Algumas coisas, no entanto, acabaram por me atropelar e fui involuntariamente protelando a planejada cartinha. Perdoe o relaxamento da sua mãe. Com o tempo, meu querido, você perceberá que essa sua mãe é mesmo assim: meio com a cabeça em todos os lugares, meio em lugar nenhum, tanta coisa para fazer nesse mundo que você ainda não conhece mas que já o espera como se fosse a sua chegada o sentido de tudo que carece de fazer sentido, é assim que parece ser ao menos dentro do coração da sua mãe. Não se assuste com as confusões que este mundo, provavelmente, trará à sua cabecinha: à primeira vista ele parecerá estranho e difícil, mas haverá muita gente ao seu lado para lhe mostrar que, apesar de estranho e difícil, esse mundo o espera com muito amor. Não tenha medo.

A sua mãe, meu querido, veja que coisa, nascerá junto com você; a sua mãe, até hoje, era apenas uma menina crescida, sem grandes pretensões e responsabilidades. É você quem a está transformando na mulher que ela sempre acreditou que fosse capaz de ser. Seja paciente com ela. Não ria do jeito desajeitado que ela tem de demonstrar amor. Ou melhor, ria: a sua mãe, certamente, rirá junto com você e será ainda mais feliz nesse mágico instante de descontração e cumplicidade. A sua mãe espera por você como quem espera pelo momento em que nós, pobres seres humanos, frágeis, fugazes seres humanos, nos damos conta de que tudo o que vivemos, e tivemos, e sofremos nessa vida valeu a pena. E tudo valeu a pena, meu querido, por você.


Amor, da sua mãe.


23 comentários:

.raphael. disse...

Lindo! Esse é o maior amor do mundo, único e o mais bonito!
Vc deve estar muito ansiosa mesmo! hehe e com razão claro! :D

Sem mais Flavinha!

beijoss

Geminiana Doce disse...

Que coisa mais linda!O amor maternal é o maior amor do mundo!
Samuel foi abençoado por uma mãe sensível e amorosa sem dúvidas.
Bjo

Única e Exclusiva disse...

Ixi que massa essa carta... Fiquei imaginando qdo ele poder ler, a emoção que vai sentir...

Muita saúde e muita paz! ^^
bjos, ú&E =***

Mariana disse...

Não tem coisa mais lindas que este texto seu.

Que seja muito bem vindo! =)


Beijocas

Marianna N. disse...

Você é linda, com todo o seu talento, todo o seu sentimento. Espero que aproveite a mulher nova que se tornará, porque ela ainda consegue ser melhor, e mais linda do que já é.
P.s.: nunca agradeci pelo seu email, então o faço agora: Obrigada. Foi de grande ajuda, foi divertido, foi gostoso de se ler.
Agora até eu fiquei ansiosa pelo Samuel (;
tomara que venha com ele um novo, recém-nascido poeta, não é não? *-*

Ana Claudia disse...

Coisa linda. Quando ele souber ler... ou quando estiver já adulto e reler... Parabéns!

Flavio Ferrari disse...

É uma experiência única e intensa ... e para sempre.

Tata disse...

Muito lindo Flá....tenho a certeza q o Samuel logo perceberá a pessoa maravilhosa e fantástica q ele tem como mãe, algo q nós leitores, amigos e admiradores já sabemos...Todos também estamos ansiosos pela chegada dele...Bjs minha linda....

As I Am disse...

Samuel é um filho de sorte!
;)

Me emocionei muito lendo, querida!

Amor, sempre!



Bjos

Patrícia G. B. disse...

Linda carta,só mesmo um amor único como o de mãe.Sua ansiedade você transforma em palavras.
Parabéns,muita paz e luz para essa nova etapa de sua vida.
bjssss

Clara, Ana e quem mais chegar. Ou só Clara ou só Ana,Clareana. disse...

Flá, há menos de um mês vi meu sobrinho nascer. Meu Deus, como foi delicioso esperar, ver crescer cada milimetrozinho dele. A barriga ia crescendo e um amor absurdo também se agigantava em mim. Até que ele nasceu, lindo, chorão, de olhos bem fechadinhos. Cheguei a passar um tempo imenso só observando os poucos movimentos dele. Ele chorava de um lado do berçário, desacostumado àquela luz, àquela cama, e eu do outro lado agradecendo por ele ser exatamente aquilo. Eu chorava por que aquilo era - e é - o amor em si, pleno, com poucos centímetros. Era um choro tão tranquiçlo, Flá. Por mim, que apenas tia sou, pela minha prima( desde sempre, ela sonhava em ser mãe), por o quanto Artur será amado. Fotografava ele inteiro, como se tivesse, internamente, receio de aquele segundo fosse desaparecer, como se uma coisa fosse linda demais pra ser verdade. Aí, a gente vai redescobrindo os sentidos das coisas, das pessoa e voltei a escrever sobre os 48 centímetros que mais me encantaram até hoje.
Que o teu filho chegue iluminado, cheio de luz. E que a tua veia poética pulsante também chegue a ele em forma de alimento. Tenho certeza que, nos próximos meses, poesia não te faltará, muito menos amor.
Boa sorte nessa nova entrega. Eu vou ficar, daqui, torcendo para que tudo dê muito certo e que seja doce.

Um beijo!

Priscila Rôde disse...

Flávia, fiquei com poucas palavras!
Emocionou - me!
Amor mais lindo!

Letícia Losekann Coelho disse...

Que coisa linda, Flávia! Essa tua carta fez aflorar toda a emoção que tive quando estava grávida de Lucas! Eu também nasci com ele :D Meu filho me transformou no que sou.
Beijos guria!

Cláudia I, Vetter disse...

quanta doçura que não cabe num linguajar! é justo de um sentir além de qualquer expressão que meça,que diga, que jure, que o infinito more em outro lugar que não seja no pleno sentir...
assim eu encontro esse pequeno bilhete e o vejo num manto de luz, num nascimento, num crescimento, que tud o há de seguir, quando a gente trilhou pelo melhor.

e assim o és. que tal cumplicidade persevere o amor que retem por aqui.

grande beijo e muita vitalidade nesse período, querida flávia!

Jaya Magalhães disse...

É a coisa mais linda que existe. Esse amor. O que vai nascer e o que tá espalhado. Pura soma, Flavitcha. O mundo aguarda ansioso.

Muitos beijos, sempre.

Ceisa Martins disse...

Que seja bem vindo ao mundo, o seu filhinho! E que a vida seja sempre justa pra vocês!
Linda carta! Lindo e único amor!
Parabens!
Boa vida de mãe pra você!

Beijos!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Flávia,

O que eu queria sentir de feminino é o amor materno, acho que é insuperável.
Daí não entendo essas mãe-beronhas, como diz minha sogra, que largam os filhos ao azar. Tem pai que é mais mãe que a mãe. Mas, em compensação, tem muito mais mãe que também é pai.

Ontem à noite, quase a dormir, ocorreu-me esta frase ecologista:

O Capetalismo está transformando a Terra em Inferno.

Fire disse...

Seu talento para emocionar é indiscutível.

É bom estar de volta e ver uma novidade tão linda! Parabéns e, apesar de parecer repetitivo, tenho que reafirmar que o Samuel é um filho de muito sorte.

Bom ver que a sua sensibilidade na escrita continua a mesma.

Beijos ;*

Jaqueline Lima disse...

Parabéns mamãe...e seu filho vai fazer tudo valer a pena, com certeza!

Beijos bonita!

Eraldo Paulino disse...

Teu blog é lindo. Você é linda. E teu texto é de uma sensibilidade impressionante.

Eu amo as mulheres. Amo ainda mais as mães. Sinceramente, as mães ficam mais gostosas a cada filho. Pobre do homem que pensa o contrário.

Bjs, querida. E obrigado pelo texto!

Altavolt disse...

E valerá ainda mais a pena, Flávia! Tudo de bom ainda está por começar! Parabéns, muitas felicidades, beijo!

Jazz @brabul disse...

Ai que coisa gostosa, Flávia!! Isso que você está vivendo é mágico e pode crer que quando ele chegar, vai morrer de orgulho de ter uma mãe tão linda e tão criativa e CHEIA DE TANTO AMOR!!!

Te amo, amiga! Boa sorte!

(estou de bloguinho novo!! Beijo, e linka!)

Dexter disse...

Mamãe Flávia, é?!

Que maravilha! Pode chegar com tudo de bom, Samuel!

Bjs!