quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Das Pausas

Eu, aqui.

Soundtrack: Priscilla Ahn - Dream




Eu saberia se não fosse minha a hora de parar e apenas ficar – assim parada, apenas ficando. Sem compromisso com um porquê ou um onde. Sem creditar essa aparente inércia a um desmaio da coragem de ir, porque não é preciso ir a algum instante para prosseguir, e eu prossigo tanto nessa quietude de corpo imóvel vibrando, eu prossigo tanto. Eu abro a boca e entro por ela, e isso não é morte, é fôlego. Inversão, meu invólucro. Minha liberdade. Esquiva, uterina. Porque nem sempre que olho em volta estou convidando a vida para um café, nem sempre que atravesso a rua pretendo chegar a qualquer destino, às vezes desejo apenas uma inexistência tenra, um anonimato relapso, um quase desconhecimento de mim. Porque cansa. Cansa ter que carregar um nome o tempo todo e ser batizada por tantos apegos e conflitos e memórias e isso não é sofrimento algum, é apenas um cansaço liso dessa minha impaciência voraz - e eu ainda não sei se esquecer é um luxo para poucos ou se lembrar demais é que é frivolidade, carregar assim o que o corpo pede pra abandonar numa estação qualquer mas a cabeça diz não e não, e segue levando até sabe Deus quando. E eu, que só queria desaprender certas coisas, continuo incorporando diligentemente conhecimentos dos quais não necessito. E no entanto, ainda assim, desejo cruzar comigo pelas ruas e me encantar com os meus traços e com o balanço boêmio dessa curiosidade minha pueril e nunca satisfeita, e me perguntar quem sou e dizer, flertando olhos-nos-olhos, que foi uma sorte me encontrar numa inóspita fila de supermercado ou no beco gelado que existe no vão entre duas ideias, eu que vivo em grave contenda comigo mesma e sou adversário audaz que não espera nem espreita, me olho de frente, mas quero trégua. Paz.


________________

UPDATE: hoje com player, mas outro dia eu volto pra falar da Priscilla Ahn. E não, a pausa em questão, dessa vez, não é uma pausa do blog ;)


47 comentários:

Monday disse...

sempre fica, como tatuagem ... a bagagem que pegamos a cada segundo, não se pode deixá-la por aí depois ... mas se pode deixar num canto esquecido da memória, ou da falta dela, se não for do agrado a lembrança ali gravada ...
seja como for, pelos falares e pelos escreveres, pelas fotos que mudam de tempos em tempos, pelo gentil e afável que esse teu canto traz no seu acolher, com certeza eu também jamais me furtaria de querer te encontrar-te a ti, fosse na fila que fosse, fosse na parede em formato de espelho, só para me iludir em ser seu reflexo, ao menos em quanto estivesses ali, parada diante de mim ... linda como sempre!

Manu disse...

Quero paz.
Mas tb quero uma paixão para me tirar o rumo!

Felipe disse...

Viaje então... Terra do Nunca.
Mundo de faz de conta,
sem barreiras,
sem fronteiras,
sem regras.

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Ah... Paz... A paz que você procura cabe na palma de suas mãos, mesmo que não caiba no mundo!
beijos e borboleteios

Kiara Guedes disse...

Aporema!! De qualquer forma, sempre linda!
Bjs

Van disse...

Também quero, twin.
Quase consigo quando fecho os olhos.
Mas é tão breve... Tão fugaz... Fugidío.... E eu fico ali, em pausa, estática, suspensa, como se pudesse segurar o momento e assim de repente, desaparecer de uma vez.
Desaprender. Des-existir.
E ao contrário de você, eu não ando cruzando muito comigo nas ruas, no café ali na esquina, nem no reflexo do vidro da vitrine. Eu. Esse nada andante. Essa que eu não conheço e que insiste em habitar meu corpo.
Onde foi que eu me meti?

Seja lá onde, de lá eu sei que eu te admiro e te amo como uma irmã arrancada e melhor.

Beijucas

PS: Vou escrever uma carta pra ti. Aguarde.

Letícia disse...

Eu sempre digo isso, mas repito. Não há inimigo pior que se possa ter. Somos nós contra nós mesmos. E sabemos da luta e já basta carregar pesos. E conflitos fazem a vida ser o que é. Não saberia viver em paz tão em paz. Mas que você a encontre. Que seja o eu lírico ou você mesma.

Beijos.

Patrícia Lage disse...

Amiga-metade-minha,

A pausa é pra continuar. Pra recomeçar de onde sempre existiu. E sem emendas, uma evolução constante. E nesse caso, a partir do olhar de e para ti. Toda paz que há.

Lindo e emocionante texto!
Amo vc, como sempre.
E beijos, como sempre também.

Esterança disse...

parafraseando um dizer de quem não me lembro agora,

suas palavras me lembram um pássaro, não um pássaro cantando, mas um.. voando!

Coisa linda, essas coisas que saem de dentro de vc, fico aqui, encantada, tentando aprender,


bjs Flavinha!!

Ric@rdo disse...

Eu me sinto constatemente assim.
Leu meu pensamento...?

Beijo!

Juliana disse...

"E eu, que só queria desaprender certas coisas, continuo incorporando diligentemente conhecimentos dos quais não necessito."

Essa frase diz exatamente o que eu sinto muitas vezes! Perfeito o texto, vc usa as palavras com muita abilidade e perfeição! Eu compraria fácil um livro seu!
;)

Beto Canales disse...

Paz!

Ingrith disse...

Quero paz.
Mas tb quero uma paixão para me tirar o rumo! [2]

Daniel disse...

Momentos de paz, vez ou outra são bons. Momentos de inquietude nos tirar as teias de aranha do coração, volta e meia; porém, o importante de tudo isso, é dar valor a cada momento. Bjus.

http://so-pensando.blogspot.com

Invade e Fim. disse...

Lindo, como tudo que você escreve. Dá pra sentir a tua alma...
Bj

Felipe disse...

Tem meme pra você lá no meu blog!
Nem sei se você curte... na verdade nem sabia que existia isso...rs
Beijo

Miguel Barroso disse...

olhares de musgo e lágrimas de pedra.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Felipe disse...

Falha nossa! Pronto, você ta sem o NET!
Não, você não veria minha cara, nem ela viu! Eu rolei pra baixo da cama...rs

Felipe disse...

E você ainda tem coragem de me falar que queria ter me conhecido no colégio? Era melhor na faculdade né!

Cara...rs foi mal... foi mal...rs
Totalmente ogro... brincadeira, juro!

Clarice Lis disse...

Flávia, desejo que a paz almejada chegue em breve. É sempre bom vir aqui. beijos da janela

Lizzie disse...

Sabe, tem horas em que parar e seguir a passos de formiga é a melhor solução para os nossos 'males'.
Esquecer as estações, esse flertar incógnito que não leva nem trás, e deixar que o coração dê tréguas aos nossos conflitos internos. É melhos.

Beijocas
www.lizziepohlmann.com

Branca disse...

Às vezes nos exigimos tanto que precisamos parar de vez em quando para aquietar nossa alma...
bjos.

Rafhitch disse...

Mais um belo texto heim??
Adorei mais uma vez. E ainda bem que não é a pausa do blog. ;)

Sim, tem um Meme para você lá no Amor Sexo Traição.

Beijoss!

Zingador disse...

É claro que brindo contigo um samba. Ainda mais depois de ter te encontrado por uma esquina dessas e perceber em você um rosto que tranquiliza.
Grande abraço perfumado

James Pimentel disse...

A Paz :D
Sinto-me constantemente assim!

Fernanda disse...

Sabe quando a gente lê um texto e se identifica com ele?
então isso aconteceu comigo agora.
adorei teu texto
quero paz,paixão,amor=)

Dri disse...

Definitivamente tem horas que a gente só precisa ficar e ser e mais nada. Apenas respirar e se sentir parte de um mundo nosso. Senti falta da música rsrsrsr

EVD - off-life disse...

GOSTOSO DE LER DEMAISSSSSS!!!


poxa...é akele qrer nao querer estar onde não precisava estar...complicado e bonito...qtos artistas famosos,como voce, nao querem esse...silencio...as vezes

bom...sindo do texto...vi a paraense no BBB 9...e ja to pensando em ir aew ver se uma médica só sabe mexer bem com carne d gente...hauahuahauahuahau

bjao

evd

Isa disse...

Nossa, que bom que você comentou lá no exist, senão talvez eu nunca lesse isso =)

Eu e uma amiga, para dizer o mesmo que você de maneira menos poética e estruturada, nos olhamos com olhos cansados, ou entediados, enfadados, depende, e dizemos : ah, hoje eu cansei de ser.

aí nos separamos - porque ela é conhecida e isso a torna uma ancora com quem eu sou - e não somos.

voltarei aqui mais vezes!

Troll disse...

E dessa forma, se encarar fica difícil, quando não somos mais fruto desse conflito de ambos, quando arriscamos tudo o mais em novas descobertas, mas nos descobrimos ainda nós mesmos.

As chances de descobrir nossa beleza... ou nossas mais escuras sombras.

Ruberto Palazo disse...

Hermanita, as vezes sonho com isso. Que estou vagando por ai e encontro outros eus, sentamos para tomar um café e conversar como andam as vidas. Como se universos paralelos se encontrassem nas pausas entre os mundos, como se a hora parasse para que nós pudessemos nos encontrar e ter uma pausa para nós mesmos, mas nós... e sinceramente, as vezes tenho a impressao que isso acontece!

Beijoooooooooooo!

PS... gosto quando tem musicaaa!

Nadezhda disse...

Vi muitos pensamentos meus nesse texto. Mas ficaram bem mais bonitos com suas palavras! ;)

Flávia disse...

Pra quem sentiu falta das música, taí o player devidamente adicionado!

Tatuagens, bagagens, cantos esquecidos... paixões desnorteadoras, viagens pelas ausências das amarras, desatinos, desapreços, desaprendizados, fugacidades. Uma hora tudo se confunde e vira esse tal de "que é que eu tô fazendo aqui?" fazendo eco nos ouvidos da gente. E tudo que se quer é não ter que responder coisa nenhuma - porque nem todas as perguntas têm resposta.

Beijos a todos!

Léo Mandoki, Jr. disse...

vc me surpreende em absoluto...não vou mais falar da sua exímia capacidade de escrita senão fica uma coisa repetitiva e piegas...
vou falar de mim após a leitura q faço...
vc é uma medica fora do comum...pq os medicos, por exigencia da profissão, tentam não se concentrar mto na alma e sim no corpo...e vc qnd escreve parece ser tudo menos médica...vc tem uma capacidade genuina de expor a delicadeza fragil da alma humana..e eu adoro isso..adoro...vc é um espirito demasiado sensitivo...
as vzs ate da vontade de ficar doente só pra ser tratado por vc
beijos MOÇA!

Anônimo disse...

Honey... diante de suas linhas, acabei vendo o reflexo de minha pessoa. Confesso-te que no momento estou assim... e, por incrível que pareça procurei isolar-me, pois tenho plena consciência das minhas limitações humanas, da minha insufiência pessoal e dos meus temores e tremores interiores. Daí sei que não posso depender de mim mesma... agora só de Deus, pois sem Ele... o que somos? Para onde iremos? O que faremos?... É isso aí, podemos arranjar mil desculpas, porém sempre seremos dependentes do favor dEle!!!
Amiga, sei que nem todas as perguntas têm resposta, mas se eu conseguir resposta para apenas uma pergunta já estarei no lucro.

Abraços infinitos!!!

Neo disse...

Oi...

Que legal conhecer aqui...
Cliquei no seu link num comentário no blog da Letícia... muito grata surpresa em conhecer um blog tão legal...

Fica um beijo!

Neo
Todos os Sentidos.wordpress

Maria Fernanda disse...

Determinadas coisas não acabam nunca.

Fee disse...

Paz é tudo o que todos os nossos sentidos, por vezes cansados, calejados, desejam afinal. Mesmo sem intenção, a gente ta sempre buscando alguma coisa, um porque, um onde, um quando e isso cansa mesmo. Mas pausar também faz parte, não é mesmo? Lendo o seu texto, deu vontade de te dar um abraço e dizer "calminha, vai ficar tuuuuudo bem".

Disse Guimarães Rosa que
"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem."

Um beijo :O)

Welker disse...

Paz talvez não seja a palavra que todos tentam adicionar ao cotidiano. Eles procuram por... plenitude de seu próprio ser (mais de uma palavra :X). E o fazem sem se importar com qualquer um, fazendo com que seu objetivo fique cada vez mais distante. O ser humano encontrou um caminho de pedras pontudas e para atravessá-lo, ele só vê uma alternativa: caminhar sobre elas. Talvez precisemos de uma tática melhor para continuar o tortuoso caminho que queremos seguir.

Filipe Garcia disse...

Flavinha,

ah, como é ruim aqueles dias em que a gente se passa como inimigo da nossa alma. A gente se trai, diz coisa que não era pra ser dita, sorri pra quem não merece, deixa de abraçar quem se ama. E depois vem o tormento, essa impaciência que você chama de voraz. Talvez fosse melhor uma pausa, realmente. Um estar dentro de nós, um encontro com o silêncio. Isso sempre ajuda. E a paz... é um estado. A gente vai caminhando a ela, aos poucos.

Um beijo a você, poetisa preferida.

Rodrigo Carreiro disse...

Essa inquietude me é comum no dia a dia. No momento não, mas já foi durante muito tempo e espero que volte

Tecnenfermaginando disse...

Como disse uma maiga minha:
"-Tudo que quero é encontrar o lobo mau, para que ele me veja com seus olhos bem gdes, me ouça melhor que ninguém e que ainda por cima, me coma."

Ah, o amor, gde amor.

Lindas palvras.

Belo blog.

Teresa

Nataliinha disse...

Ufa, pensei q fosse dar um tempo !

Beiijos =)

george araújo disse...

apenas fique!
e continue escrevendo belos textos como este
...

voltarei mais vezes.
bjos
>>

Zandali disse...

bom, há tempos pedia paz... agora eu consegui! quero um amor para tirá-la de mim!

a gente nunca tá contente!! rs, rs...

beijos mil

Sunflower disse...

o que é paz? sempre confundo com a ausência e com a presença do bem para todos que amamos. Prefiro a segunda, sempre.

Amei a música, não conseigo ler e ouvir, uma coisa de cada vez.

Beijassssss

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,