sábado, 3 de julho de 2010

Algo Parecido com Você

Cadê eu?

...perguntava-me.

E quem respondia era uma estranha que me dizia fria e
categoricamente: tu és tu mesma.

(Clarice Lispector)

Soundtrack: Natalie Walker - Urban Angel






Fazia tanto tempo que eu não saía para andar à toa. Desde você. Nem lembrava mais como era essa disciplina de um passo de depois do outro sem necessariamente precisar de direção, a cidade estava lá, inteira, eu só lhe roubaria algumas ruas e ela nem daria falta e eu sou ainda muito justa: empresto, devolvo, intacto. Como no dia em que emprestei seu carro e saí sem fazer barulho para comprar cervejas. Dezesseis para as quatro, se não me engano. Descalça. Clichê, enrolada no cheiro do seu sono. Tarde quente aquela, como nunca houve outra desde que descobri que era uma catarse ver você dormir com os lábios quase imperceptivelmente entreabertos de quem balbucia um desejo sonhado. Energia medida em quanta. Ainda hoje eu não teria coragem de interromper seu sono; a gente dorme, acorda, dorme, acorda, dorme e tudo que quer é desentender que a vida é paga com juros e parar de lembrar de despedidas, o sino da igrejinha velha, lembra?, acabou de tocar, sete badaladas – sete horas, sete dias, sete anjos, sete selos, sete palmos, uma alma vai, outra vem; sete e um. Escurece por onde volto sob um tempo que se fecha e fica tão bonito assim, cinza, sempre gostei de exceções. Ouvi dizer que vão cortar o pinheiro da rua de cima porque cresceu demais e pode desabar, tudo o que cresce demais vira uma ameaça – é assim com saudade, raiva, medo, amor. Amor. Você cresceu demais mas não me importo, portanto desabe sobre mim e outra vez me acaricie as costas com o peso de toda história nossa que cabe nas suas mãos sem medo de me machucar, sou forte o suficiente para você. Para nós. Para quem fui, para quem me tornei – algo parecido com você, sempre que me lembro, e me lembro sempre do seu modo de segurar a xícara e de caminhar de manhã e de abrir um livro numa página qualquer e de, e de, e de. E de. Está tão calmo aqui. Volto para casa debaixo de uma chuva fina, abro a porta, olho o relógio na parede, sete e meia, noves fora zero e resta um: eu. Ainda faltam cinco minutos para mim.

______________________________

Depois de um hiato de 4 meses - em que estive ausente curtindo a gravidez e tocando projetos profissionais - eis que o "Sabe de uma Coisa?" está de volta. Agradeço a todos que permaneceram visitando este espaço mesmo durante o tempo de quiescência, aos que mandaram mensagens de "volta, Flávia!" e àqueles que, mesmo distantes, sempre curtiram este blog tanto quanto eu. Obrigada, e bem-vindos todos!


39 comentários:

Priscilla disse...

Oi Flávia, te sigo no Twitter e agora venho acompanhando seu blog..
Vc escreve mto bem!!!
Gostei do seu cantinho!
=)

bju

Marianna N. disse...

E está de volta, a blogueira palpiteira. Bem-vinda, você também. Bem-vinda de volta.

Patrícia Lage disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patrícia Lage disse...

Que bom que vc voltou. Que bom.
Que bom pra gente.

Lindo texto... Lindo momento.

Beijo, amiga-metade.

Marcos Satoru Kawanami disse...

ser pai há de ser consolo para mim, que não consigo me engravidar?

isso foi uma frase humorística; muitos não entendem meu humor, nem minha mãe.

notei que segues meu blogue, segues também recomendação psiquiátrica?


SONETO FEROZ

Eu não quero o lirismo comedido,
como já disse o velho e bom Bandeira;
eu não quero a bandeira brasileira
entre tantas de um mundo dividido.

Eu quero o amor geral, o Amor perdido,
difuso, tão confuso, assim sem eira
nem beira, só a vontade prazenteira
de viver sem jamais ser iludido.

Eu não quero este mundo decadente
que se ufana a dizer ser progressista
num suicídio lento, enquanto mente.

Eu quero é o ideal surrealista,
a doida sanidade do demente,
a lúcida loucura do autista!

Marcos Satoru Kawanami


.

Grã disse...

Oi Doc!

Doce é sua visita, obrigado.

Adorei ver que voltou a escrever já que, depois de te ler, nunca mais escrevi da mesma forma.

Beijo!

Tá-tum

Jaya Magalhães disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! \õ/

Te xinguei tanto, nessa vida. Pela ausência, por desaparecer. [E eu perdi o outro msn e não salvei você]. E agora abro o reader e vejo lá, letras tuas. Um texto teu. Um momento boa. Uma leveza.

Ah, Flavinha, que lindo ter você de volta. Cheinha de amor. Outra vez. E sempre.

Toma um beijo estaladérrimo.

Mirian Martin disse...

Menina-mãe! Bom que voltou. Já estava ficando chato sem você por aqui. ;)

Sei lá porque, lendo o texto fui transportada para Belém, num retorno, com nunvens carregadas de chuva, o calor infernal e... um colo de mãe.

Beijocas, querida.

Carolda disse...

Ah, fiquei toda feliz qdo vi no seu twitter agorinha que você tinha voltado a escrever... sempre vinha aqui, mas acabava não comentando. Coisas de quem faz tudo ao mesmo tempo.

Enfim, texto delicioso. "... enrolada no cheiro do seu sono." Já senti algo assim. Bom te ler novamente.
Um beijo

Vinícius Aguiar disse...

Confesso que estava com saudade da sua genialidade, Flavinha! Parabéns!

Jaqueline Lima disse...

Que volta hein!!!
ainda bem que você voltou a escrever...senti saudade das palavras/histórias...

Beijos menina bonita!

paulo disse...

Sabia que voltarias espero que nunca mais te vás.
Os minutos que te faltam ou que te sobram se tornarão infinitos...

Beijo, Flávia

Taynar disse...

Heeeeeeeey mulher!

Fizeste falta!

Mas conta do baby!
Já nasceu, ou ainda curtindo imaginar a carinha que ele vai ter?
Dá notícias, mulher!

Beijos

Line Ribeiro disse...

Flavinha, coisa doce, suas palavras em forma de poesia dispensam comentários, a maternidade só aprimorou teu jeito lindo de escrever =)

A-mei a música. não conhecia essa Natalie e agora estou cá ouvindo o myspace dela e achando diliça!

bjm

Marguerita disse...

SEJA BEM-VINDA!
Novamente, sempre.

Como está a gestação, querida?

Adoro tuas palavras, és a expressão dos sentimentos, uma face do amor sendo conjugado!

Bjos e um forte abraço.

primaverasdesetembro disse...

ooooooooooooooown

sei bem como é isso, sabe? de ser só você sempre com as ruas e os prédios, ou algo por ai.Não sabia da gravidez, deve ta linda.. :)

bom te rever, não some mais, doce!

Flores.
[sempre por aqui]

Kari disse...

Que saudade de ler tuas coisas. Tuas palavras. E que coisa boa ver tudo que anda te acontecendo.
Achei teu twiter um dia desses e fiquei imaginando o barrigão e toda a tua emoção nessa fase nova.

Bem vida, de volta!!!!

Beijos

disse...

Maravilhoso...
Estou seguindo!
Bjos

Jeyza disse...

Que bom que vc voltou! Eu estava passeando por entre os blogs e encontrei seu blog. Amei.
Parabéns e boa sorte!
Voltarei mais vezes!
Abs,
Jeyza

Ceisa Martins disse...

Nossa... Que lindo! Que intenso... Que bom!
Fico feiz por tê-la de volta!

Beijos e muitas felicxidades!!!

Menina da Imprensa disse...

Não importa o hiato flor! A essência das suas palavras já enfeitou tanto a blogosfera, que esperar seu talento voltar a nos fazer sorrir foi fácil:o)Mas por favor, não pare mais!
Ah, pra um "recomeço", texto no mínimo im-pe-cá-vel...
Parabéns atrasado, que papai do Céu continue abençoando sua vida, sua família, esses dedinhos mágicos, e que Samuel traga ainda mais luz a essa médica-poetisa-mãe-tão querida!
Kisses

Edu Grabowski disse...

Música perfeita, Texto gostoso de ler. Viajei agora em cada palavra e parecia que via a cena. E fiquei pensando... Divagando a vida num instante de ...de... o tempo da música e nos quase 4 minutos e meio eu vi boa parte do seu relato...eu consegui ver tbm a minha vida (pensar nela...)
Minha amiga, você faz falta! Suas palavras.... como adoro a forma que você escreve, se expressa...você tem o dom de transportar a gente!

Beijos e não pare nunca de escrever....mesmo que seja um rabisco!

Edu.

Anônimo disse...

Confesso que senti sua falta! :) Que bom que você voltou!

C. disse...

ah que saudade q eu tava de ler você!

Alê Sebastian disse...

é a primeira vez que venho no seu blog, só a mensagem de abertura é show de bola. Quero parabeniza-la e desejar que Deus te abênçõe e que vc continue escrevendo sempre assim, de forma calma simples e cheia de emoção, assim como chuva fina que cai sem intenção de provocar estragos, mas sim de deixar as pessoas sob aviso que ainda existe sentimento no universo. O Meu blog é alesebastian.blogspot.com e o e-mail é alexandre_aju@hotmail.com, quero muito manter contato com vc.

Carinhosamente: Alexandre Santos

Édyson . Brandão disse...

Hum ! Cheiro de saudade. Faz tempo qe não venho aqui saber de uma coisa. ^^
Olha, menina ! Tá grávida, que benção :)

Delicioso tê-la de volta, Flávia. Só trocamos comentários, mas é incrível vir aqui e ser presenteado com seus textos.

Beijos e beijos.

Priscila Rôde disse...

E quando nada sobra, nem ninguém? Quando cinco minutos é muito pouco pra mudar uma vida, uma história?


Flávia, adorei o blog!
Parabéns pela escrita sensível!

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

Gosto muito como escreve.Parabéns!E também pela nova vida,filhos é uma benção.bjssss

Van disse...

\o/

Passe o tempo que passar, Fláwer, serás sempre essa perfeição.
Benvinda de novo e sempre.

Beijucas nocê e no Samuel. ^^

Anna Bueno disse...

E aí, meninaaaaaa??? Como estão as coisas? Senti sua falta.
Bjossssssss

lorena lago disse...

que texto lindo, to encantada com ele.

tita coelho disse...

Que texto bacana! Adorei te ler e vou voltar muitas vezes.
"Ainda faltam cinco minutos para mim"
Beijos

Geraldo Pinho disse...

Poxa... somente aplausos, muitos!

Anônimo disse...

Sabe d uma coisa?!
Vc é extremamente encantadora,o modo como usa as palavras e cria frases é de uma sutileza incrível.Feeling total.Parabéns e vida longa a suas idéias.Não uso Blog,tão pouco twitter,mas vou te seguir!hehe.Um grande abraço!

Sacha disse...

muito bom,vou voltar sempre.
abraços

Menina Misteriosa disse...

Que lindo, Flávia... tão tenro e intenso. Vejo o amor justamente assim, posso até sentir medo quando o vejo crescer, mas, depois, quero mais é que ele desabe em mim!

Fico feliz por te ler de novo!

Beijo

MeninaMisteriosa

Tatiane disse...

Fiquei muito feliz em meu zapear descontráido encontrar o seu cantinho, simplesmente me curvo e agradeço por tão belas palavras....É meu primeiro comentário, e espero q venham muitos outros,pois assim poderei ler tão belas palavras escritas, e me deixar levar...
PS: Naum a conheço mas desejo td de ótimo nessa fase e q o Baby lhe deixe demonstrar todo esse sentimento q me pareces ter guardado pra ele...Bjs e até a próxima.....

Aline disse...

Lindo lindo.

Nicera disse...

Teu texto pesou como uma bigorna em minhas lembranças. Muito lindo!

Au revoir!