segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Mulheres Más

(...) Que ela não perca nunca, não importa em que mundo
Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade
De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma
Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave. (...)

Carlos Drummond de Andrade - Receita de Mulher

Ao som de The Gentle Waves - Pretty Things



Mulheres, definitivamente, não são todas iguais; embora criadas da mesma costela de Adão, existem com características várias, cada qual com suas peculiaridades. Há, contudo, duas categorias especialmente notáveis: as mulheres boas e as mulheres más.

Mulheres más não são necessariamente malvadas. Tampouco são más mulheres. Mulheres más apenas vêm ao mundo com a difícil missão de não serem as boazinhas das histórias. Missão árdua, é bem verdade, mas, assim mesmo, fascinante – uma vez que a tenha conhecido, você jamais esquecerá uma mulher má.

Mulheres más não cedem; concedem. Não existem, vivem. Não duvidam, pagam pra ver. Não estão sempre a cobrir de mimos e agrados, nem a distribuir sorrisos, nem a dizer amenidades, nem a medir palavras. Elas mimam, agradam, sorriem e dizem na exata medida de sua vontade soberana. Mulheres más não falam; fazem-se ouvir – ainda que sua voz seja o mais absoluto silêncio.

Mulheres más não são do tipo que só diz “sim”. Ao contrário, são más justamente pela intuitiva maestria em proferir um “não” – seja ele dito sob tempestades e trovoadas ou com a suavidade de um flautista. Jamais desagradam a si mesmas para agradar aos outros. Não aparentam; são. Persuasivas, sedutoras, misteriosas, encantadora e indiscutivelmente feiticeiras.

Mulheres más não fogem à luta; matam um leão por dia. São gigantes pela própria natureza disfarçados de criaturas frágeis e delicadas, o impávido colosso sob a doce aparência da mãe gentil. Sofrem, choram, se desesperam, mas, ao contrário das boazinhas, são como a fênix: um piscar de olhos e lá estão elas a renascer das próprias cinzas. Superlativamente amadas ou odiadas, o fato é que não se fica indiferente frente a uma dessas criaturas singulares.

Mulheres más nascem e morrem como todas as outras porém, diferentemente de muitas, espraiam suas sementes ao longo do caminho que existe entre nascer e morrer. São mães, filhas, esposas, senhoras, meninas, pobres, ricas, letradas, ignorantes, brancas, negras, amarelas, Marias, Isauras, Joanas, Fulanas. Más – não pelo que lhes vai no coração, que é de ouro; más, pela audácia em desafiar os pobres tolos que insistem na vã tarefa de tentar lhes minar as forças, tirar o brilho, negar o valor. Mulheres más talvez não saibam qual o caminho que conduz ao céu. Mas o da felicidade, certamente, elas conhecem.

46 comentários:

Edu Grabowski disse...

mulheres más...são malvadas sim!..rsrsrs

E quando querem são crueis demais!!!!

Muito bom o texto.
Beijo grande.
Edu.

Heliarly disse...

Mudou o tema! Os contos...?


A má e mais legal? E você é má?

Flavinha disse...

Edu,

Hummm... sei... rsrs... beijo!

Heliarly,

Os contos ainda vêm por aí. Tá chegando a hora deles (rsrs)... E diz você... hehehe... cê acha que eu sou má? Rsrs... beijo!

Menina da Imprensa disse...

... Por isso é que eu digo: quando sou boa, sou muito boa, mas quando sou má, sou melhor ainda :o)
Kissessssss!!!!!!!!

Nil Brito disse...

Uma mulher má poderia dizer:

Sou pura emoção. Tenho razões e motivações próprias. Não meça meus sentimentos. Deles sei eu.
Sou música: ecôo, reverbero, sacudo.
Sou fogo: queimo, destruo, incinero.
Sou vento: arrasto, balanço, carrego.
Sou tempo: sem medidas, sem marcações.
Sou furacão: destruo, devasto, arrasto.
Sou água: afogo, inundo, invado.
Sou clima: proporcional à minha fase.
Mas, sou tijolo: construo, recomeço...
Sou cada estação, no seu apogeu e glória.
Sou problema e solução. Veneno e antídoto. Memória e esquecimento. Prisão e liberdade. Luz e escuridão.

E você, Flávia, me emociona pela delicadeza
com que lida com essa força interior
que se chama Amor;
e com o conflito, o atrito
entre o Ser e o Querer!


bjs do nil

Van disse...

Twin querida.....
Tem surpresa no nosso novo lugar.
Fiquei regando nosso campo de girassóis até agora, e ainda vou regar mais.
Do seu texto, não tenho mais o que dizer.... Você é sempre perfeita! Em tudo!

I´m bad, baby! Bad bad girl!

"As boas vão pra casa... as más vão pra qualquer lugar." Dizem por aí...
Eu vou pra qualquer lugar!
hehehehehe

Love U!

Beijucas

PS: TCHAN TCHAN TCHAN TCHAAAAAAAAAAAAAN!
;)

‽ ««§εмф†ϊvф»» ‽ disse...

Muito bom!!!!! Conheço mulheres assim apesar de , infelizmente, ainda, não ser uma.
Talvez, um dia, quando for mais madura ou imatura(acredite, eu era assim!" Mas me perdi de mim mesma...-.-), me transforme nesta mulher TÃO especial.

E a pergunta que não quer calar: que tipo de mulher é vc hein?! O.õ

Ah! Que música linda hein... poxa vida, eu queria colocar música no meu blogmas não sei como faz.....><' Ainda sou novata aqui...¬¬

Um beijo

Ray

Ane Talita disse...

É...mulheres más não necessariamente más mulheres!
E elas levam uma vida bem mais interessante do que muitas mocinhas água com açucar...;)

beijo!

Ricardo Rayol disse...

E você, é uma mulher má?

Kari disse...

Ahhhhh! Adorei as mulheres más!
Acho que tenho um pouco deles.

Beijos

MH disse...

Deus ilumine as mulheres más. Elas são diabolicamente divinas. tem ate aquela maxima "mulheres boas vão para o céu, mulheres más vão para onde bem entenderem".

Fernando disse...

Olá, Flávia!

Olha só, pra você ter escrito este texto, tenho certeza que faria muito bem o papel da protagonista mocinha e água-com-acúcar da novela das oito, correto? :)

Quem escreve muito sobre as mulheres más é a Martha Medeiros. Ela diz que uma mulher pode ser tudo, menos a boazinha. Eu, não sei porque, tenho imã pra mulher má. E digo, ser má é algo que tem muito a ver com as taurinas. Hehehehe.

De qualquer forma, da bela crônica, da ótima percepção que você teve me descrever essas fascinantes fêmeas, digo que, mulheres que "jamais desagradam a si mesmas para agradar aos outros.", enfrentam sérios problemas em relacionamentos. Mas também aprendem muito com isso. E isto é um juizo de valor meu, único e exclusivo, longe de ser o correto.

Beijocas!

Rafael Velasquez disse...

as mulheres boas, cadê elas?

Rogério Felício disse...

Depois de ler isso tudo só fico imaginando se a mulher fosse feita do filé de Adão..hahahahaha...


beijinhos :)

J disse...

Flavinha, é assim ó....

eu e vc, não somos filhas de Eva e sim de Lilith, tão escrota que foi até repudiada da bíblia.

http://surmenageatrois.blogspot.com/2007/11/umas-de-ns-so-filhas-de-eva-outras-de.html

(texto escrito pelo meu alterego)

Vc tá linkada quiridona, beijocas

Anne disse...

Nem sei, ultimamente ando bad até demais...rsrsrs. Do tipo com aquele olhar "nem adianta tentar", sabe??? ASAHSuAHSuHSU...pois é, tirei férias geraaaaaal.

Amei o texto, mana...bjokas, saudade de ti!

.raphael. disse...

Ainda bem que mulheres não são todas iguais!..hehehehe
Coitados de nós!
Mas mulher é sempre desejável e admirável!

:)

beijão Flá!

Mila disse...

Estou cá numa dúvida atros... serei eu uma mulher má?? Ora achei que sim... ora tive certeza que não... e no fim... fiquei mesmo foi neste dúvida cruel... Escute-me!!! Diga-me afinal se não existe uma mulher hibrida... mista desta duas... quem saiba eu possa me encaixar... ou serei então uma má mulher????
Beijos... insanos... saudosos.. da sua maninha!!!!

Paloma disse...

Sempre gostei mais das antagonistas das histórias, mulheres más, mais interessantes e com muitos caminhos a escolher. Tenho muito prazer em ser uma delas...Beijos!

Flavinha disse...

Passando rápido pra agradecer A TODOS pela visita e pelos comentários! O tempo, mais uma vex, tá enxuto... espero que essa maratona termine até quinta-feira. Assim que estiver em condições de respirar, pass pra visitar todo mundo como se deve.

Beijos!

Ultra Violet disse...

"Mulheres boas vão para o céu, as más vão para qualquer lugar..."

Eu sempre me enquadrei no time das mulheres más. É tão mais interessante ir para onde quiser e não ter rédeas, nem direção. Isso é um tratado sobre as mulheres más. Mas, como Fernando disse, sobre nós taurinas-más, sabemos a dor e a delícia de ser o que somos. Não é fácil fazer tudo que se quer, porque pagamos um preço alto pela expressão de nossas vontades. Vale cada centavo gasto.

Nas histórias de contos-de-fada, sempre quis ser a bruxa malvada. rs...A Branca de Neve é muito insossa!

Viva as mulheres malvadas!

Beijos.

Carol Freitas disse...

Nem preciso falar que adorei o seu texto né?!
Abomino o modelinho de "mulher politicamente correta" rsrs Submissão só se for BDSM!
Como diz a canção: "Eu nunca peço permissão pra decolar"
Beijos!!!!!!

Bella... disse...

as boazinhas vão para o céu. mulheres más vão aonde querem.

gostei daqui.

bjos

Fábio Vanzo disse...

Culpa da costela de Adão: já foi fazer engenharia reversa num protótipo com sérios problemas de hardware.

Bianca Pyl disse...

mulheres...
tema complicado de escrever né?!

se elas conhecem a felicidade ou não, não sei. mas creio que todas elas busquem, e a busca por si só já é um grande passo.

beijos querida!

osrevni disse...

Hmmm... tem um monte de mulher malvada que você está deixando de fora... E que são as realmente malvadas...

Carmim disse...

De todos os textos que já li aqui, e no Cotidianidades, este passou para o primeiro lugar do Top!
Para quando as Crónicas de Flavinha? =))

Beijos.

Heliarly disse...

Valeu por resoponder meu comentário! hehe! Vc é um amor, é só ver a entrevista. Já ta lá no blog, pelos comentários tem gente por aí que gostou de você!!!

Beijos Flá!

disse...

Gostei do post,muito bom.Vim te dizer que já está linkada lá no meu Banga tá ..Beijos

citadinokane disse...

Ai meu Deus!
Será que não tem nenhuma menina boazinha por aqui???
As malvadas... não esqueçam! São malvadas, mesmo!
-------
Flavinha, colocando as brincadeiras de lado, gostei do texto, e eu também gosto das más... ahahaha...
Beijos,
Pedro

Erika disse...

Gostei disso demais da conta:

"más, pela audácia em desafiar os pobres tolos que insistem na vã tarefa de tentar lhes minar as forças, tirar o brilho, negar o valor. Mulheres más talvez não saibam qual o caminho que conduz ao céu. Mas o da felicidade, certamente, elas conhecem."

Beijos kiridona.

"Oncotô? (Erika)"

Tá faltando um selinho alí.. rsrs
(tentei botar o html aqui procê e num funcionou. Pega lá?)

J disse...

E,reveja sua genealogia. Reza a lenda que a Lilith voltou em forma de cobra pra botar eles pra fora. Gosto dela, ela sabe o que quer.


Já o Mathew... garotos são uns lentinhos, não são?

Beijos.

Isaque Viana disse...

ô, Flavim...
Tanto tempo sem passar aqui, né?
Mas olha, cê sabe que eu te amo, não é?
SObre o texto... malvada vc, hein?

rs


Beijo

Antonio Ximenes disse...

Flavinha.

Gostei muito da sua brincadeira com as definições de "Fibra" e "Maldade".

A comparação ficou muito bem explicada e lindamente escrita.

Confesso que muitos homens têm medo de uma "Mulher Má".

Por que será !?!?!? rs

Abração pra ti.

MH disse...

ah...quero um texto novo...snif...depois eu volto vai..bj

Tudo ou nada ... disse...

Caracas ........ muito bom este texto, perfeito. Mulheres são o q querem ser com perfeição, seja isso bom ou ruim.

"Mulher, mulher na escola em que vc foi ensinada
Jamais tirei um dez, sou forte mas ñ chego aos teus pés"
Erasmo Carlos

Bjão

Si disse...

Moça, estou tentando visitar seu blog há dias, mas estava sem internet em casa e ele é bloqueado no trabalho.
O que anda escrevendo por aqui? Hehehe

Cin disse...

Isso me lembrou uma frase que li uma vez: "Mulheres boazinhas vão para o céu, as más vão para onde quiserem".

Bem bacana o texto.
Bjinhos!

FINA FLOR disse...

essas é que são as boas, querida, pode acreditar!!!!!

beijocas e bons ventos,

MM.

Amélie disse...

A gente sabe muito bem ser malvada! E nem tanto.

Aparece!

Arne Balbinotti disse...

Realmente quando uma mulher quer ser má, ninguém segura, mas quando a mulher nasce para ser trouxa, sai de baixo, por que essa coitada, sofre que nem cachorro.
Acho que tem que haver um equilibrio.
Alimentar o lado bom e o lado mal.
Assim podemos ser completos.
Beijos.

DIA 21 DE ABRIL ESTRÉIA A MINISSÉRIE
FOTOGRAFIAS SÃO ETERNAS
ACESSE O BLOG Butique da Severina

http://butiquedaseverina.blogspot.com/

Marcus Vinicius disse...

mulheres más... Existem muitas... estas deixam marcas profundas mesmo! Mas umas são mais cruéis que outras... estas deixam feridas que sangram pra sempre...

bjs

PS: cade vc??? rsrrss

benechaves disse...

Oi, querida:estava atrasado nas postagens. Vejo aqui o poema 'cru', um despojamento de doar-se um ao outro, o eterno 'querer' entre o homem e a mulher. Boa feitura de versos! E claro que vc é linda e tem de se mostrar mesmo (rs), a beleza serve tb para isso.
E sobre as diversidades femininas sempre existem tais conotações entre a bondade de umas e a maldade de outras. Boa reflexão acerca de suas características.

Um (bom) beijo...

Si disse...

Estou aprendendo a ser uma mulher má. Depois desse texto, já tenho base continuar. Hehehe

Beijos, linda.

Oliver Pickwick disse...

Um sucedâneo de diagnósticos acerca do bem e do mal, cheio de verdades quase sempre não-aceitáveis. De minha parte, só questiono o negócio da costela de Adão.

A propósito minha mais que querida amiga do coração, sobre o seu último comentário lá no condado, não se acanhe, pode "coaçar" à vontade. Eu juro que não me importo.
Beijos!

Flávia disse...

ANÔNIMO,

Enquanto continuar a fazer comentários engraçadinhos sem mostrar a cara, vou deletar tudo o que você tiver a audácia de escrever. Aqui quem manda sou eu. E não se engane, esse blog é uma ditadura.