domingo, 14 de dezembro de 2008

Bélica

Eu me compartilho.

Soundtrack: Cary Brothers - Ride


Sou um verbo pagão de carne e osso, de alma púrpura confluente para intenções insones. Este corpo pequeno não me contém; este corpo pequeno se estende além, me escapo e viro um rastro inquieto, crescente em corpos alheios. Necessito invadir e tomar conta e ser eu-embora-noutros, por outros, eu me compartilho inteira com quem couber nessa ciência de partilhar-se descuidando reservas – e só, porque o que sou não cabe em insuficiências, tenho essa natureza que rejeita fragmentos e restrições. Eu me compartilho, egoísta inconformada, quero-me aqui e lá e em qualquer lugar, invado e me deixo invadir numa simbiose quase bélica. Guardo nas dobras da pele os calores de outras peles e minha voz é vincada das inflexões de outras vozes mas, ainda assim, me pertenço, e somente a mim – e sendo dona de mim é que ato as rupturas níveas de solidão rasgadas na minha história, e que desato meus nós com os dedos ágeis de quem tece seus próprios caminhos ainda que às escuras, tenho destinos e sonhos riscados nas digitais. Verbo pagão vertendo alma. Sou imprevisível, não sou consensual: existo litigiosamente.


_________________

Cary Brothers é um compositor e cantor americano de indie rock que ficou conhecido com a canção Blue Eyes, incluída na trilha sonora do filme Garden State. Suas músicas também apareceram em vários seriados como Scrubs, Grey’s Anatomy e ER. A faixa Ride faz parte do CD Who You Are (2007), do EP Waiting For Your Letter (2005) e da soundtrack do filme The Last Kiss (2006). Fica a dica.


51 comentários:

Germano Xavier disse...

"NUMA SIMBIOSE QUASE BÉLICA". IMAGEM FORTE CONSTRUÍDA PELA SEDA DAS MÃOS. E UMA FLÁVIA NA TENTATIVA ETERNA DE SE AUTO-ENCONTRAR, DE SABER-SE, DE JUSTIFICAR-SE PERANTE A VIDA. O QUE FAZEMOS E FAREMOS ATÉ O FIM, DESDE O NOSSO ACORDAR EM CEDAS HORAS.

UM CARINHO, FLÁVIA.
CONTINUEMOS...

Celine disse...

Faremos o seguinte: te empresto minhas palavras e vc me empresta as suas.
Tbm nao caibo mais em meu corpo, nem que eu engorde, nem que minha alma me aceite pequena como sou.
Eu preciso de outros corpos, vivos ou nao.
beijos

Monday disse...

é por isso que você é tão densa ... me lembra os textos de Clarice, sempre densos ... o ritmo e a sequência de adjetivos e demais formas explicita isso claramente ... transbordante ....

Van disse...

PUTA QUE O PARIU.
Tua escrita é que é bélica, twin.
Quando sai de ti, não sobra nada ao redor. Arrebata tudo.
Compartilhe sim. Eu mesma vou querer um bom pedaço.
Beijucas

Patrícia Lage disse...

Você tem o peito, que guarda aquele nosso velho e conhecido sentimento, do tamanho do infinito, como te disse. E tudo que tem dentro dele é igualmente da mesma medida. E a partilha ocorre quando o outro é infinito também. Coisa para raros, muito raros, raríssimos como você, óbvio.

Teu texto é um tiro certeiro, único e fatal.

E a música... Ah, casamento na certa. ;)

Meu beijo, amiga-metade, inteiro.

Bandys disse...

Flavia,
Mesmo que as escuras traçar seu proprio caminho não tem como os dedos ageis apontar pra outro..

Só mesmo pra suas digitais,
Muito bom
beijos

Mai disse...

Oh! Linda e doce luz!

Que alegria reler a força desse verbo pungente, que invade olhos, cérebro, veias, coração... Flá, quem disse que é prá conter?
Mas não é essa a beleza que precisa ser compartilhada?
Não é para isto que eu, tu, nós e mesmo ele, nascemos?
C O M P A R T I L H A R, emoção?

Eu, mesma quero, e muito, e sempre, compartilhar emoções assim, que "parem" poemas e textos, lindos, como este.

Estrela de luz, esquece essa história de pit stop, não nos prive dessa tua criação.

Muito, muito carinho.

Jacinta Dantas disse...

Que texto bonito, Flávia. Vou lendo, sentindo...
Vejo-me nas linhas e entrelinhas, percebendo-me vontades que transcendem ao meu corpo, encontrando-me em corpos dispostos no universo, sendo parte em mim hospedando-me neles. E, deixo-me ser Eu parte e Eu todo, nessa mistura de água, bichos, verdes, terra, gente.
Beijão menina

Paulo R Diesel disse...

É assim que te sinto. Nos artigos e nos comentários, è uma cumplicidade da qual devemos tirar proveito.
Uma cumplicidade bélica


Beijo Flávia

Grã disse...

Oooi Menina!

Ser a "primeira" não é para quem quer, é algo que simplesmente acontece... e vc sabe q comigo vc é a "primeira" em algumas coisas... ... ...

Bjs

Beto Canales disse...

Um bom litígio, então.

fred disse...

Caetano disse: "meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim". Eu também quero e me parece que é também o seu caso, mas, como não podemos guardar o mundo, você propõe expandir-se, ser você mesma "embora em outros". De certa forma me parece que é isso que fazemos, ou tentamos fazer, os que escrevem: inconscientemente buscamos possuir através das palavras aqueles que nos lêem.
Acho que viajei um pouco, mas é que não queria simplesmente dizer que amei o texto.
Beijos, Flávia

Sunflower disse...

Eu não sei se me quero nos outros, quebra um pouco meu conceito de liberdade: e seu eu quiser simplesmente partir? Nunca iria por completo.

M
a
s

quero o melhor de tudo em mim. Egoísta pra caramba, né?

beijas

Sininho disse...

A ciência de compartilhar-se descuidando reservas!

Oh que belas palavras...
(Voltarei)

Um Beijo*

Sieger disse...

Adoreiii
Adorei mais ainda o seu retorno a blogosfera!

Ric@rdo disse...

Flavinha, dessa vez fiquei sem fôlego!
E realmente dessa vez vou guardar o pudor do eu senti...

Beijo no seu coração.

Leila Saads disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila Saads disse...

Lindo! Verdadeiro manifesto em prosa poética! Amei, Flávia, de verdade!

:*

,edysonbrandão. disse...

Namaste!

Um verbo pagão de carne e osso,[...]

Qual a conjugação pra tal expressão?

Paz!

EVD - off-life disse...

um pouco forte...hauahuahau...tá na linha de fim de ano mesmo...um post com nervos a flor da pele,de quem ouviu algo de um bom musico,e achou q caberia(como coube bem )no blog.nao sei c é tradução da musica,algo misturado com a tradução,ou só seu.mas é ácido, e rasgado.

adorei.

evd

Pavón disse...

A música é um presente bélico assim como teu texto hermana, ser imprevisivel e surpreendente tu és, viva e compartilhada com todos és unica em tua estrutura bélica e insaciável. Só nao me acerte com um soco devido as aulas de boxe.....rsss

Saudades...

Beijucas!

João da Silva disse...

Ah, Flávia, querida! Depois que o Verbo se fez carne e começou a habitar no meio de nós, e resolveu que podia conjugar-se, e trocou o subjuntivo pelo imperativo, só porque não se conformava com o indicativo, tudo é possível.
O que não é possível é eu ter-me apaixonado desta forma inenarrável pelo seu jeito de me envolver nestas linhas fantásticas de revolta e paixão, de amor e de fúria, de prodigalidade e de epifania, tão maravilhosamente justapostas, como num puzzle que se completa e conforma a imagem mais linda que nós nem ao menos imagináramos.
Adoro seu cantinho.
Beijos mil, com aroma de rosas, do João

o casalqseama* disse...

anota aí no seu caderninho (que espero que não seja bélico, rsrs) hj ganhei mais uma fã!

não que eu seja muito importante e coisa e tal, mas amo arte, pessoas, liberdade de expressão, bom gosto em atos, revelações intrigantes... acima de tudo, uma boa leitura! e foi extamente o que encontrei aqui... uma dança nas palavras que entram na nossa reflexão, fazem uma cócega em nossos sorrisos e tranforma-se numa reação bélica... que acerta no alvo dos que lêem com o coração!

parabéns. querer ser no outro é a coragem de doar-se, desprender-se a, contraditoriamente, a pretensão de deixar uma marca.

és muito benvinda sempre no degusta!

bjão da fê =D

Cris disse...

Muito lindo como sempre...

Márcio Ahimsa disse...

Oi Flávia,

somos indo e vindo em busca
de direção, talvez, na contramão
mesmo, correndo riscos e encontrando nossa face sorridente
ou chorosa.

Beijos, querida.

.duas doses de desdém - Gui disse...

"se compartilhar" muito bom!!

Adorei a carinha do teu blog! um luxo só!

Grande beijo!!!!!

Bia Kohle disse...

Típicamente lindo!

Lela disse...

"Eu vezes eu espalhados em mim", como diriam os Titãs. Ah, como eu queria escrever bonito assim...

Deixa eu te dizer: adoUro as músicas que você coloca aqui, quando vi o Cary Brothers pensei "meodeos, mais alguém o conhece!"

E eu fiquei curiosa: qual trecho de Wild Horses? Sabe que a maioria das tattoos que quero fazer são frases e palavras? Fica lindo!

Um beijo.

iara disse...

belicismo tão fogoso....é pra desligar ou par acender mais?
rsss hummmm medo....
kkkkkkkkkkkkkkk
bjs

Flávia disse...

GERMANO,

Só não ando me preocupando tanto em me justicar, sabe? Tenho gostado dessa fase meio blasé ;)

CELINE,

Fechado!

MONDAY,

Transbordar é o preço que a gente paga quando não se contém, né?

VAN,

Pos um grande pedaço já é seu, e será sempre :D

PATI,

Raros como NÓS, amiga. Raros como NÓS...

BANDYS,

As minhas digitais são meio intempestivas, mas geralmente acertam, rs.

MAI,

Não, querida... cada dia que passo, me convenço de que tudo que vc me falou é incontestável, sabe? Então... parar para quê?

JACINTA,

Fico feliz que tenha se visto assim nas linhas e entrelinhas, moça - pq é muito bom saber que alguém com a sua delicadeza se encontra nas minhas letras, e talvez, tenha mais semelhanças comigo do que sou capaz de supor :)

PAULO,

Bélica ou não, é algo que me faz muito bem ;)

GRÃ,

Sou? ;)

CANALES,

Amém!

FRED,

Pode viajar o quanto quiser - eu adoro essas viajadas!!

SUNNY,

Aí a gente simplesmente parte, e se leva junto. É essa a vantagem de se compartilhar, ao invés de simplesmente se doar - quando parte, a gente se recupera...

SININHO,

Volte sim, linda, seja muito bem vinda por aqui!

SIEGER,

Eu disse que voltava, não disse?

RIC,

Guarde, mas me conte depois, certo?

LEILA, CRIS, GUI, BIA,

Obrigada, moças!

EDYSON,

Conjugue como viver... e bem vindo por aqui!

EVD,

Não, não, esse é só meu mesmo - a música casou perfeita, mas só associei as coisas depois. E jura que vc achou ácido??

PAVÓN,

Hahaha, vc eu não acerto não! Mas, se precisar que a hermana te defenda, tamos aí!

JOÃO,

Que delícia, que delícia seu comentário! Fico sempre sem palavras pra te agradecer por tanto carinho, por tanta delicadeza. Muito obrigada mesmo :)

FÊ,

Como não é importante?! Claro que é! Cada um que aporta por aqui com essa simpatia que vc esbanja e esse astral que vc tem, é extremamente importante! Fico feliz que tenha aparecido e mais ainda que tenha gostado, e mais ainda por me receber tão bem no teu espaço. Muito obrigada - pela visita, pelo comentário e pelas boas vindas!

MÁRCIO,

Sim e assim será sempre - a gente só não pode parar no meio do caminho, ou insistir em andar em círculos...

LELA,

Nooossa, eu AMEI Cary Brothers à primeira audição! Acabou virando quase uma OBRIGAÇÃO trazer o cara pra cá, rs!
E também acho lindo tatuar frases, palavras ou alguma outra verbalização que tenha alguma importância pra gente. O trecho que escolhi é:

"Wild horses couldn't drag me away
Wild, wild horses, well ride them some day"


No meio das costas, como uma flechada. Ou um abraço. Um dia, eu explico ;)

IARA,

Ahnnn... aí fica a cargo do freguês, rs!

Beijos a todos e excelente semana!

Nadezhda disse...

Minha natureza é daquela que eu alguns casos aceita os resto sim. (E acabo nem me reconhecendo nisso).

;)

Bill Falcão disse...

Ué, você não disse que ia sair de férias??
Venho aqui e vejo posts novinhos!!
Bjoooooooooooo!!!!!!!!!

Daniel disse...

Adoro mulheres bélicas rsrs. Bjus e boa semana.

http://so-pensando.blogspot.com

R.Vinicius disse...

Flávia quanto tempo não a leio, estava com saudade. Também faz tempo que não nos falamos direito. Suas digitais, sua forma de ser marca o nosso caminho e o coração que tanto te estima. :)

Ótima semana, abraços,

R.Vinicius

C. disse...

eu gostei da visita e da "simbiose quase bélica".
e já gostam desse cantor em seriado de hospital, né? o.O

Jaque Lima disse...

E você disse o que é. cada um é só de si mesma. mas faz parte de um contexto nosso. do outro. na pele. na palavra. ninguém é só. mesmo que seja só seu. e para si.

Beijos!

Fire disse...

Mais uma fã para o seu clube: Eu =)

Seu blog é tão sensível e humano.
Acho tudo isso BELO *-*

Linkei seu blog no meu! ^^

;*

Flávia disse...

NADEZHDA,

A minhas, às vezes, parece aceitar. Parece. Mas ela sempre se rebela, sempre quer mais.

BILL,

Não era férias, homem, era talvez um "retiro espiritual", vai. Acabei percebendo que meu retiro é mesmo aqui :)

DANIEL,

Olha... tem que dar conta, viu? As bélicas não são nada fáceis!

R.,

Ah, rapaz, esses dias estão corridos, muito corridos. Mas logo logo a gente se fala, sim, e vc sempre é bem vindo por aqui :)

C.,

Hahaha, pois é! Eu o encontrei no filme Garden State, mas quando fui vasculhar a internet atrás de outros trabalhos vi essas prticipações nos tais seriados de hospitais. No mínimo, o rapaz é teraupêutico...

JAQUE,

Eu não sei se já te disse disso, mas essa coisa de pontuar o período em parágrafos bem curtos e de não usar maiúsculas provoca um efeito visual incrível em quem lê. Muito boa sacada essa :)

FIRE,

Ah, que linda! Muito obrigada pela visita e pelos elogios, seja muito bem vinda - sinta-se em casa por aqui. O blog é de autoria minha, mas o espaço é NOSSO, sempre - portanto, agora é seu também. Tô passando pra te conhecer.


Beijos a todos!

Auíri Au disse...

Bélica com armas de amor!!!

Lindo, maravilhoso o texto!
Beijos

Márcia(clarinha) disse...

Uau!! Texto bomba, rss
Também em escapo e não me dou conta[e acho ótimo]

lindo dia flor
beijos

*Raíssa disse...

Amei o texto, como sempre!

Também vivo litigiosamente comigo mesma, semore quero algo a mais, ou a menos.

Beijos!

Duuh!. disse...

Aii Fláviaa.
que lindo ^^

adoro tudo o que você escreve,
ahh, você escrve tãaaao bem. hehe

adorei.

valeu a visita.
beeijo

Altamir disse...

Flavinha, no bom sentido é importante viver litigiosamente, sem aquela postura bovina de achar tudo normal e "aceitável". É importante a análise crítica, que aliás vc sempre faz com muita competência. Beijão!

*Lusinha* disse...

E não acho que essa forma de existir vá mudar... ;)
Bjitos!

Zandali disse...

nossa! minha cara!
beijos mil

ALF disse...

Acho que todo mundo no fundo tem esse quê de tempestade de confluências intensas.

;)

Beijocas

Mary West disse...

Sempre nos acharemos incompletos. Viver em busca de algo é deveras comum.

Jana disse...

É a multidão, que vive em cada pedaço da gente.

:)

Tainá :) disse...

Lindinhaaa! Que bom foi receber sua visita!

Fiquei tão contente, pois adoro demais o seu blog!

Espero tê-la mais vezes lá, tá?
E eu, estarei SEMPRE por aqui.

Um beijo carinho.


Ah, texto perfeito. Sabes usar as palavras como poucos.
Feliz Natal, flor. Tudo de bom pra você! ;*

Ricky Bar disse...

Não é só um convite, é uma chamado... "Quero..."

No fim de tarde
Na praia olhando o mar...
Contemplando o fim de tarde, o por do sol,
Aguardando a lua chegar
Quem sabe no crepúsculo o sonho se torne real
Vindo aqui me brindar.
Imagine, o Sol e a Lua se amando no céu!
Eclipse aqui, nesse lugar.
Embarquei numa nau de sonhos de papel
Percebendo que a espuma das ondas de sal
Arrebentando na praia podem ser puro mel
Claro que pode no Mar-Mel a Lua-Amar-Sol
Elevando meu espírito, libertando-me,
Navegando nas ondas tornando o destino real

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,